Copa do Mundo de 2014:

Uma análise da Capacidade e Demanda dos Aeroportos Brasileiros.

Com relação aos investimentos, dos 8,8 bilhões de reais (valores aproximados de 2010) previstos entre 1995 e 2010, a INFRAERO realizou aproximadamente 48%. Entre 2009 e 2014, foram previstos investimentos de 5,5 bilhões de reais. Destes, cerca de 16% eram previstos para aplicação em 2009 e 2010 nos aeroportos da Copa. No entanto, foram contratados apenas 5,47%. O tempo demandado entre a etapa do projeto e sua conclusão é um fator preocupante. De acordo com IPEA (2011), o prazo de execução de obras de infraestrutura no país é de 92 meses.

Acerca da demanda, as previsões apontam para valores bem acima dos parâmetros utilizados para o planejamento das ampliações dos terminais de passageiros dos aeroportos até 2014. Entre 2008 e 2009, houve um acréscimo de aproximadamente 15 milhões de passageiros nos aeroportos da INFRAERO, sendo que destes cerca de 12,7 milhões foram processados nos aeroportos da Copa. Estes números de 2009 para 2010 foram, respectivamente, 26,2 milhões e 20,7 milhões. Neste último período somente nos três aeroportos de São Paulo (Guarulhos, Congonhas e Campinas) foram cerca de 8,7 milhões de passageiros a mais em relação ao ano anterior. Este crescimento de São Paulo equivale à movimentação anual de passageiros no aeroporto de Lima, no Peru.

Sabendo-se que o movimento de passageiros nos aeroportos brasileiros duplica a cada sete anos, pode-se prever que os aeroportos da Copa deverão estar preparados para receber um quantitativo de passageiros superior ao que foi planejado até o momento. Viracopos deverá ser o aeroporto com maior taxa de crescimento entre os dezesseis aeroportos estudados, chegando a cerca de 9,5 milhões de passageiros em 2014. Este fato ocorre em função da saturação dos aeroportos de Guarulhos e Congonhas.

Em 2008, observou-se que a média anual de passageiros por metro quadrado em terminais estrangeiros é de 127 passageiros, enquanto que, no Brasil, para os dezesseis aeroportos da Copa, é de 165 passageiros por m² de terminal em 2010. Em 2014, mesmo que as ampliações ocorram como o anunciado pela INFRAERO e a previsão de demanda se confirme, haverá aproximadamente 171 passageiros em cada metro quadrado de terminal. Isto, certamente, aponta para uma intensificação dos congestionamentos.

As capacidades dos principais aeroportos brasileiros encontram-se próximas a situação de saturação, requerendo atenção para o suprimento da demanda crescente, que será incrementada com a realização da Copa do Mundo de Futebol em 2014. Para atender tal demanda, será necessário modernizar as infraestruturas do transporte aéreo brasileiro. Porém, mais importante que isso é o atendimento da demanda que aumentará naturalmente nos próximos anos.

Portanto, visando atender a crescente pressão sobre a infraestrutura aeroportuária, ressalta-se a importância da realização de investimentos nos aeroportos de maneira geral, observando os estudos de previsão de demanda nos seus planejamentos. Percebe-se que o cronograma de investimentos deve ser revisto para atender aos passageiros em nível de serviço satisfatório até 2014, buscando melhorá-lo nos anos seguintes. Isso faz se necessário não somente para atender a demanda pontual desse ano, mas principalmente para oferecer aos passageiros um serviço de qualidade independentemente de realizações de grandes eventos.

Thaís Sena Balter
Professora do CCPI
Tem experiência nas áreas de Geografia e Engenharia de Transportes.
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/1440562580242849
CCPI - Centro de Capacitação Profissional Inteligente
Site: www.ccpi.com.br
Curtir: https://www.facebook.com/cursosccpi