Sustentabilidade e Competitividade Empresarial

Com o advento da sociedade pós-industrial a melhoria da qualidade de vida, a consideração ao meio ambiente bem como a valorização do ser humano passaram a ser valorizados, surgindo então o desenvolvimento sustentável a partir da preocupação empresarial no crescimento econômico além das questões ambientais e sociais.
Após a revolução industrial as empresas se viram obrigadas a ser mais atraentes aos seus consumidores. Essa preocupação surgiu principalmente pelo fato do aumento da concorrência e competitividade. Por isso as organizações passaram a buscar maior destaque diante de seus colaboradores, fornecedores, clientes, comunidade local, etc. Desta forma surge um grande conceito para a responsabilidade social:
[...] a forma de gestão que se define pela relação ética e transparente da empresa com todos os públicos com os quais ela se relaciona e pelo estabelecimento de metas empresariais compatíveis com o desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para as gerações futuras, respeitando a diversidade e promovendo a redução das desigualdades sociais (INSTITUTO ETHOS, 2012, on line).
O tripé formado pela Ética, transparência e desenvolvimento sustentável assumem papel importante quanto a responsabilidade das empresas para gerirem seus negócios no Brasil.
Quanto ao desenvolvimento sustentável, há os pilares em que são apoiados segundo Barbieri e Cajazeira (2009) e merecem nossa atenção: a sustentabilidade social, a ecológica, a econômica, a espacial e a cultural.
A sustentabilidade social vem buscando principalmente diminuir as distâncias entre os padrões de vida das pessoas. A sustentabilidade ecológica que visa evitar riscos ao meio ambiente focando inclusive as gerações futuras. A sustentabilidade econômica traz seu maior objetivo o de gerir os recursos produtivos regulando investimentos dos setores privado e público. A sustentabilidade espacial apresenta o objetivo de assentamento urbano e rural. A sustentabilidade cultural destaca o respeito a pluralidade e especificialidades de cada cultura e região.
Através da globalização as barreiras sociais e econômicas facilitaram os trâmites comerciais mundiais aumentando assim a competitividade das organizações.
Desta forma a eficiência (do dicionário Aurélio: Ação, força, virtude de produzir um efeito) e a eficácia (do dicionário Aurélio: Qualidade ou propriedade de eficaz) são mais exigidas pelo Mercado para que as empresas se mantenham ativas, ou seja, gerando lucratividade.
Como utilizamos as palavras no mundo corporativo, a eficiência está associada ao “fazer certo” com foco no resultado final, já eficácia vai um pouco mais além disso. Eficácia se refere a metodologia de como foi feito, buscando maior produtividade através de planejamento e organização.
O desafio aqui da eficiência e eficácia é atrair o olhares dos stakeholders (do inglês: “stake”, interesse; e “holder”, aquele que possui.) onde se encontram colaboradores, consumidores, fornecedores, entre outros.
No cenário atual, como destacamos acima, são as empresas que investem no tripé da responsabilidade social empresarial.

Quando uma empresa atua com responsabilidade social aumenta seu relacionamento com diversos públicos... ...aumenta a exposição positiva em mídia espontânea onde seus produtos, serviços e marca ganha maior visibilidade e maior aceitação. (Guedes, 2000).
Quando falamos em retorno das empresas, destacamos o que Guedes (2000) afirma quanto a entender que a resposta do investimento da empresa se dá por meio da imagem e vendas, também através da publicidade, dos investidores e acionistas, da tributação, da produtividade, das pessoas e dos ganhos sociais.
É claramente possível identificarmos na mídia os investimentos das empresas para patrocínios educacionais, culturais e eventos sociais além da mídia espontânea, que busquem ações sustentáveis através dos cinco pilares acima descritos, afim de se manterem competitivas e gerar retorno.
Destacamos aqui três empresas que investem em ações sustentáveis e mantém sua competitividade:
MAPFRE S.A.

A organização é líder do mercado de seguradoras na Espanha, onde fica a sede da empresa. Presente nos principais países da América Latina, além de Filipinas, Turquia, Portugal e Estados Unidoss, a empresa possui participação expressiva em seguros, resseguros e serviços financeiros.
Em 1992 a empresa iniciou as atividades aqui no Brasil ao adquirir a Vera Cruz Seguradora S.A. a transformando no que é hoje em um dos destaques mais relevantes do mercado segurador nacional.
Segundo Juan José Almagro, Diretor-Geral de Comunicação e Responsabilidade Social da MAPFRE Espanha: “A Responsabilidade Social Corporativa nasce dentro da empresa, de sua cultura e de seus princípios, e se desenvolve – com o apoio da alta gerência – de baixo para cima e transversalmente. Cada instituição e cada empresa, independentemente de sua dimensão, devem ser capazes de aprovar os seus princípios e objetivos de Responsabilidade Social e de desenhar, de acordo com suas características particulares, seu mapa de stakeholders e seu próprio modelo de Responsabilidade Social.”

O objetivo da organização é, de verdade, crescer continuamente de forma sustentável ao produzi mais mantendo os mesmos recursos.
Ao desenvolverem projetos sustentáveis mantendo a inovação afim de redução de gastos sem perder a qualidade, mantendo relacionamento através da transparência, a empresa busca credibilidade e reconhecimento dos stakeholders.
Com base nas diretrizes internacionais do GRI (Global Reporting Initiative, constituída em 1997 com o objetivo de apresentar relatórios de desempenho econômico, social e ambiental rotineiros, reúne 103 indicadores de sustentabilidade para empresas privadas), alinhada com o Instituto Ethos (apresenta indicadores sociais) e Pacto Global (visa manter as boas práticas de negócios e valores internacionais), a MAFRE planeja e realiza projetos com abrangência em várias dimensões:
Ambiental: com o projeto Sustentabilidade na Cadeia de Valor, a empresa busca identificar e divulgar boas ações socioambientais. Desta forma a empresa reforça seu comprometimento com a sustentabilidade incentiva ações como descarte ambientalmente adequado, uso consciente de recursos, compras ambientalmente responsáveis, formação e educação ambiental e estimula programas como Programa CRIANÇA, ECO MAPFRE, Programa ECOBLOGS.
Econômica: a empresa enfatiza e dissemina sua missão, visão, objetivos e estratégias conforme sua visão de futuro. Sua estratégia é direcionada para os Clientes (marca, serviços e distribuição), para as Pessoas (alto desempenho, reconhecimento e ambiente) e para os Processos (administração enxuta e Seis Sigmas, tecnologia e controle interno).
Social: destaca-se o Código de Ética e Bons Costumes, descrevendo o comportamento dos colaboradores de acordo com os valores e princípios do Grupo. As orientações de conduta são simples como o respeito mútuo entre todas as pessoas, comprometimento com o trabalho e com a empresa, solidariedade e cooperação com seus pares e com a sociedade, integridade, cumprimento à lei. Ao oferecer benefícios de incentivo aos colaboradores, além de reconhecimentos e qualidade de vida, a MAFRE reforça seu comprometimento com o clima organizacional, reconhecimentos (profissional e pessoal) e desempenho. As ações de responsabilidade social desenvolvidas buscam a melhoria e qualidade de vida da sociedade.destacam-se programas como PIP (programa de inserção profissional), educação e cultura - programa cine-educação na cinemateca brasileira, programa de treinamento e capacitação para educação financeira, entre outros. A FUNDACIÓN MAPFRE faz parte do grupo, porém sem fins lucrativos. Ela atua fora e dentro do país, trabalhando para contribuir com a formação do cidadão e disseminar valores e cultura através de iniciativas diversas que destacamos algumas como: prêmio experiências educacionais inclusivas, formação em empresas, cultura, prevenção, saúde e meio ambiente, educação ambiental nas escolas, encontro ibero-americano de meio ambiente, campanha de conscientização na semana do trânsito.

Podemos concluir, conforme apresentado acima, que é possível sim, ser sustentável e esta sustentabilidade apoiar a competitividade empresarial.
Estatísticas mostram que empresas socialmente responsável são mais lucrativas, crescem mais e são mais duradouras. A página do Down Jones na internet traz um levantamento que compara a lucratividade dessas empresas com a média da Down Jones. A rentabilidade das socialmente responsáveis é o dobro da média das empresas da Bolsa de Nova York. (GRAJEW, 2000).
Ressaltamos contudo que o interesse desta sustentabilidade não deve ser exclusivamente para o aumento econômico das empresas que assumem o desafio da responsabilidade social, como também o interesse de nós, como cidadãos, em praticarmos ações que favoreçam uma sociedade adequada e um mundo melhor em todos os pilares das sustentabilidade.

REFERÊNCIAS:
INSTITUTO ETHOS. O que é responsabilidade social. Disponível em: < http://www1.ethos.org.br/ EthosWeb/pt/29/o_que_e_rse/o_que_e_rse.aspx>. Acesso em: 02 fev. 2012.
BARBIERI, José Carlos; CAJAZEIRA, Jorge E. Reis. Responsabilidade social empresarial e empresa sustentável: da teoria à prática. São Paulo: Saraiva, 2009.
GUEDES, Rita de Cássia. Responsabilidade social e cidadania empresarial: conceitos estratégicos para as empresas face à globalização. São Paulo, 2000. Dissertação de mestrado da Pontifícia Universidade Católica da São Paulo (PUC- SP)
GRAJEW, Oded. Índice para medir solidariedade. Época, p.55 de 22.05.2000

SITES VISITADOS:
http://www.acessa.com/negocios/arquivo/carreira/2003/11/25-Eduardo/ Acesso em 01 de julho de 2013.
http://www.dicionariodoaurelio.com/ Acesso em 03 de julho de 2013

Janiara de Lima Medeiros (Jani Medeiros)
Gestora Empresarial
Facebook: www.facebook.com/jani.medeiros
Lattes: http://lattes.cnpq.br/3544078470911638